quinta-feira, 22 de julho de 2010

E ai! Você sente paixão ou amor?

Tenho visto muitos adolescentes, jovens e até adultos cultivando emoções que às vezes não conseguem distinguir uma da outra. LEMBRE-SE: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”  João 3:16


A paixão - Aparece na maioria das vezes tão rápido quanto um raio. Pode ser através de uma piscada de olhos, um toque nas mãos ou um pequenino gesto, mas também desaparece da mesma maneira como surgiu. Seus sintomas são: Insônia falta de apetite, coração acelerado, mãos umedecidas pelo suor.
A ansiedade passa a ser sua companheira mais fiel. A atração física é muito forte. É cega. Por mais defeitos que a pessoa tenha você sempre a considera a sétima maravilha do mundo. É egoísta. A única coisa que importa é satisfazer seus próprios desejos, custe o que custar. Pode se transformar em obsessão causando prejuízos emocionais, físicos e espirituais.
Seus caminhos conduzem os jovens a um relacionamento ilícito diante de Deus (exagero nas carícias, prática sexuais, idolatria, veneração pela pessoa). Suas conseqüências podem ser gravidez indesejada, aborto, doenças sexualmente transmissíveis, traumas psicológicos. É volúvel - muda de endereço com muita facilidade. Por exemplo: num dia, uma moça pode estar apaixonada por um louro alto. No outro, estar interessada em um moreno atlético. E no fim do mês, descobrir que está "amando" um baixinho magricela. Seu fim é amargo. Em muitos casos só resta frustração, sentimentos de culpas, insegurança e desequilíbrio emocional, podendo levar ao suicídio.
O amor - Não nasce à primeira vista, ele cresce e se fortalece dia após dia e tem o tempo como seu aliado. Não provoca alterações orgânicas. Você continuará tendo um sono tranqüilo e batimentos cardíacos moderados. Seu coração fica em paz e a ansiedade passa longe de você. Valoriza características como fidelidade e bom caráter.
Tem prazer em estar perto pelo companheirismo, sinceridade, respeito, carinho que um ao outro pode proporcionar. A atração física fica em segundo plano. Não é cega. Você enxerga tanto as qualidades como os defeitos da pessoa amada, seu temperamento e personalidade. Não busca interesse próprio, mas a felicidade um do outro.
Nunca ameaça seu equilíbrio emocional, físico e espiritual. Nunca se afasta da presença de Deus. Domínio próprio e equilíbrio pautam seus passos para não exagerar na intimidade antes do casamento e não venerar a pessoa amada. É estável - Não há dúvida no coração nem desejo de se envolver com outras pessoas. A pessoa amada é a única com quem quer estar por toda a vida. Pode não ter fim e trazer satisfação, segurança, paz e muita felicidade.
Digo outra coisa pra vocês antes de se apaixonarem pelos prazeres da vida que tem a oferecer, tivemos o prazer de ter um imenso amor que nos deu a vida.         
Que o verdadeiro amor venha brotar no coração de vocês!
É porque Deus “amou tanto” e não porque ficou “tão apaixonado.”
FIQUEM FIRMES...

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Há Limites no seu namoro?

Você chamaria Deus pra avaliar seu namoro?

...Continuando o assunto sobre sexualidade no meio Igreja. Falta instrutura para que seja mais abordado nas Igrejas esse assunto, mas agora vamos falar um pouco sobre limites.
Namoro é um contato social do caráter afetuoso e cordial entre um rapaz e uma moça com o propósito deliberado de possível união matrimonial no futuro. Esse contato, porém, tem limites aconselhados e determinados pela ética evangélica mais do que pela moral comum, que é excessivamente indulgente. As intimidades excessivas e inconvenientes não só desvirtuam os princípios evangélicos como acarretam, por isso mesmo, sérios prejuízos de ordem moral e espiritual, tanto para a moça como para o rapaz. A jovem amorosa, romântica e sedenta de carinho corre grande risco ao consentir que o namorado ou noivado lhe proporcione carícias só permitidas aos casados. E a razão é óbvia.
O rapaz crente, uma vez estimulado pela indulgência ou passividade da namorada, pode ser levado a extremos que não desejaria nem mais pensaria chegar. Uma concessão hoje e outra amanhã pode levar ambos a uma situação de onde talvez não se possa mais recuar e em que só a moça terá desvantagens e prejuízos sem fim. É principalmente à moça, portanto, que cabe, marcar o limite das intimidades que o rapaz deve ter com ela. Ele a respeitará se ela se mostrar digna, porque a ama e a quer por esposa; ou a desprezará- se ela se revelar fácil e estimulá-lo a intimidades inconvenientes e pouco decorosas. Um rapaz estava noivo com uma jovem de bom caráter. Certa vez, conversando com ela, a sós, deixou-se arrebatar no decurso das intimidades e tentou ousadamente fazer-lhe carícias em zona altamente pudenda do corpo.
Reagindo imediatamente, ela lhe disse: "Não, querido! Isso, não! Gosto muito de você e quero-o para meu esposo, mas não posso permitir tal coisa. Tenha paciência. Espere para quando formos casados." E ele me disse: "Pedi-lhe desculpas e me corrigi. E se eu já lhe devotava grande admiração, fiquei, daí por diante, admirando-a muito mais, pois ela cresceu moralmente aos meus olhos". Toda jovem namorada ou noiva (principalmente esta) jamais deve olvidar a tremenda força extintiva de sua biologia, ou de sua sexualidade. O instinto materno está sempre presente e é fortemente atuante na mulher, principalmente na jovem. Por isso, levando em conta os dados científicos fornecidos pela ginecologia, pela biologia, a genética e a psiquiatria sobre a intensidade do instinto sexual feminino que só difere a intensidade do instinto masculino quanto ao caráter ou á natureza. Portanto, é bom estar a moça de sobreaviso contra os impulsos de sua feminilidade, contra as naturais solicitações e surpreendentes insídias do seu determinismo biológico.
Qualquer descontrole dessas quase incoercíveis forças do instinto sexual feminino, discreta e cuidadosamente enclausuradas no ergástulo secreto da religião, da moral e da dignidade pessoal, pode acarretar o desmoronamento de castelos dourados e de sonhos de felicidade matrimonial por tanto tempo acalentados. Em face do exposto, não se esqueçam disto as nossas jovens: quanto mais concessões faz a namorada ou noiva ao seu bem amado, julgando que assim o cativa cada vez mais, tanto menos confiança ele deposita nela porque menos digna ela resiste aos excessos e limita as intimidades ao conveniente e decoroso. E a razão é que ele vê nela uma mulher digna de confiança em matéria de amor e a desejará para esposa.
Mas lembre-se estamos aqui pra ajudar e tentar orientar, mas o maior ensino vem da casa e do convivo com os pais, perguntas não respondidas ou ignoradas podem custar um crescimento saudável e espiritual.

Nossos Encontros!

  • Domingo - Escola de aprendizagem sobre a vida. Na I. Presbiteriana Livre ( apartir das 9h )
  • Domingo - Reunião de Comunhão. Na I. Presbiteriana Livre ( apartir das 19h )
  • Terça-Feira - Culto da Familia - Casa do Presb. Warley (ás 19h)
  • Quinta-Feira - Vamos orar juntos? Na I. Presbiteriana Livre
  • Sexta-Feira - Subida ao Monte às 19h - Ponto final do Moacyr Brotas
  • Sábado - Você é Livre - bate papo descontraido. ( apartir das 17:30hs )
  • * Pode haver trocas nas programações onde serão avisados.
  • ** Onde? Presbiteriana Livre (Centro - Colatina)

Videos interessantes...

Loading...

Agendamento e Contatos:

Warley do Nascimento Pereira e Maria Angelica C. Pereira

Blog: http://jovenslivrescomcristo.blogspot.com.br/

Email: warleype@gmail.com, jovenslivrescomcristo@gmail.com

Tel.:( 27) 99829-4698 (27)99894-4177

Estamos por ai...